Seja bem vindo caro leitor

Nestes breves momentos de leitura, espero que sinta-se á vontade para debater e questionar as idéias postas, para assim evoluirmos como cidadãos e prosperar como seres-pensantes







domingo, 17 de julho de 2011

LEMBRANÇAS







   Eis um tema de difícil reflexão, quem dirá de entendimento. Será que em simples palavras podemos transcrever tal ação?!
   Este foi meu pensamento antes de esboçar tal texto. Sinto-me necessitado de tal confissão, pois são os mais claros e fortes pesares do meu inconsciente.
   Tenho em minha boca o gosto evidente das tardes de moleque, a adrenalina e o castigo de ser traquina, a felicidade estampada ao ajudar meus semelhantes, e a tristeza de ser apunhalado por confiares demais.
   Hoje me visita sempre que é convidada e quando não também, esta entre minhas lagrimas e sorrisos, é uma eterna companheira. Agrada-me nas tardes de descanso, e me destrói nas noites de insônia. Levando quem eu fui e me esparramando a confusão do dia-a-dia.
   Obtive leve entendimento sobre a minha relação com tal companheira, que se compara com amor e ódio, um não existe sem o outro, pois o sinal mais claro de que somos felizes é relembrar nosso passado recolher as pedras no caminho e sorrir, sempre sorrir, pois esse é o combustível para nossas vidas.

domingo, 15 de maio de 2011

Pensamentos Involuntários





Sem ter a mínima noção do que escrever, e depois de um longo jejum, volto a esta pagina, a estas palavras que me levarão a lugar nenhum. Sei que isso é a pura verdade, e a encaro com humor e tristeza, de uma forma natural de quem já passou por isso antes. Eu. Cadê os super-heróis, as forças do bem, a cueca por cima da calça?!
Somos programados a isso, tanto é que quando pequenos, já descobrimos que se chorarmos um pouco além da conta, teremos tudo o que quisermos, e onde estão estampados nossos choros?!
Chorei, chorei, na convicção de que teria tudo ao meu alcance, tolo eu, pois criança já não sou mais, vomito todas minhas alegrias, sem remédio para meu estômago, me descubro uma pessoa fria, que faz outras pessoas sorrirem, mais não tem um coração alegre, tornando a vida real.
Estou aqui, sentado no sofá sem noção do que vai acontecer, sem noção do que irei pensar, acho que isso é viver, admitir que não sabemos de nada, apenas esperar o dia raiar e se levantar, isso já basta.
A minha noção de futuro é a seguinte: pensar no passado e viver o hoje, como se fosse fechar meus olhos ao anoitecer e jamais acordar.

sábado, 22 de janeiro de 2011

SAINDO DO CONTEXTO






   Bom, necessitando escrever, mais sem idéia alguma do que postar, rabisco algumas linhas para fugir da mesmice do politicamente correto, interado sobre os mesmos assuntos, as mesmas catástrofes, enfim.
   Inovar sempre gerou rejeição, sim aquela indiferença por ser e ter ideais diferentes do padrão para um adolescente, que é vista por nossos pais e ancestrais como uma loucura juvenil.
   Ouço nas rádios, musicas sobre um futuro que se remete ao passado, ouço também a bola da vez, resumida numa única estrofe o sucesso se faz presente. Leio livros, de ficção para me ausentar da realidade cruel; bruxos, fadas, vampiros, aqueles finais felizes contados para um publico mais pop. Já não sei se repetir o passado é viver alegrias paternas, se a discoteca tocará as mesmas musicas, se o colorido será interpretado de outra forma, e sem ação alguma sobre o tempo, espero o futuro de bolso furado, trocando centavos por esperanças momentâneas de que amanha será melhor que hoje.
   Mudar o percurso, sempre será uma alternativa, mais ir pra onde?! Conhecer em lugares diferentes as mesmas histórias, sofridas e vividas por quem realmente merece um milhão, sem ao menos ser vigiado por câmera alguma.
 Já são tantas as informações que meu cereal é de letras, para começar meu dia pensando na matéria de hoje minha margarina é diet, pois as madrugadas me consomem de besteiras em gula, meu pão já não é feito com a mesma farinha, e assim me alimento de ilusões. Meu trabalho é sim mais que forçado, já dizia um grande poeta, estou morrendo comigo na mão, num labirinto, só.
   Nosso espetáculo está de cortinas fechadas, o monstro já se criou, e como um jovem revoltado com a vida injusta que leva já, se foi para o exterior, viver o tão e sonhado final feliz.



terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A espera de um milagre



Fim de ano + sonhos + compras + presentes + festas = Caos

 
   Eis o fim do ano, tão esperado por todos, época em que tudo está mais barato e o dinheiro do pobre sempre dá, uma divida a mais não fará diferença, afinal estamos no final do ano, daqui a alguns dias será tudo diferente.
   Este é o pensamento de milhares de pessoas nesse mundo. Sonhar com um ano melhor do que o anterior. Pessoas totalmente globalizadas pelo capitalismo, que ingerem consumo e nem se dão conta disso.
   O presente do parente, a lembrança da criança, a visita do ausente, nossa, nossa, nossa quanta gente.
   Pois é, nossa cultura é assim mesmo, comprar e comprar, para comprar e para quem comprar, girar a roda do capitalismo, alavancar a economia, termos e mais termos para simplesmente nos dizer que temos que comprar.
   Não me destaco em nada desse quadro, gostaria de deixar isso bem claro aos meus leitores, sou um tremendo consumista, de carteirinha, mais o que acontece é que estou abrindo meus olhos para absurdos de fim de ano.
   Reflita um pouco; porque ficamos tão eufóricos com o mês de dezembro, especificamente a última semana, para que tanta correria se em menos de uma semana isso tudo vai acabar e você voltará a ser a e ter sua conta negativa ou não, porque é tão difícil valorizar o que realmente significa o mês de dezembro?
   Diariamente perdemos coisas, anualmente perdemos pessoas, e tudo se esvai num simples egoísmo alheio, o comprar, o gastar, o se divertir, distancia sua dor, alivia seus sentimentos de magoa, te liberta instantaneamente de todos seus males, eis o final do ano e suas faces.
   Quero deixar uma mensagem para meus poucos e honrados leitores:
  


 “Tenha em cada final de ano a esperança que ele realmente se inove com muita paz e harmonia entre seus familiares, ajude o necessitado, visite um amigo do passado, abrace todos que você conheça, e sorria, sempre sorria, pois o sorriso move qualquer sentimento de magoa, se preocupe sim com o amanhã, mais ele não será nada se você não realizar o hoje”

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Mais uma guerra a procura de paz





Autoridades entendem o conflito como uma maneira de encontrar a paz








   Onde está nossa cidade maravilhosa, das poesias e belezas, relatadas em musicas e livros, de prêmios e cartões postais?
   Questionar é necessário. Pois bem, responder onde estão essas coisas não é difícil, estão todas lá, no mesmo lugar de sempre, só que com uma pequena mudança nos ares, nos morros, nas faces de cada cidadão que reside numa zona de conflito, que em recentes acontecimentos preenchem as páginas dos principais jornais do mundo.
   Uma movimentação jamais vista no cotidiano, com fardas e emblemas de todos os tipos, para nos trazer segurança e tranqüilidade. Mais estão atrás de quem?  Traficantes? Tudo bem tiramos a parte ruim da sociedade, mais e onde estão as pessoas que realmente financiam essa droga que é traficada, quem irá prendê-los, quem irá entrar em suas mansões espalhadas mundo afora com um mandato de prisão?
    Não encontro uma resposta concreta, ganhamos prêmios ao revelar nossa fragilidade e ausência de segurança, em filmes e documentários, mais nada muda, apenas mais uma estatueta na prateleira. Sem falar do espetáculo que é apresentado diariamente nos jornais e afins, que por falta de identidade própria, não posso mencionar como jornalismo, esses que abusam do senso comum dos cidadãos e nos fartam de cenas que já estamos cansados de ver, sempre com as mesmas histórias, os mesmos papéis, mudando apenas o ambiente e o repórter, para não sentirmos falta dos enlatados americanos. Queremos lutar por uma paz definitiva mais sem espetáculos ao vivo ou encomendados.
   A realidade é que escondemos as entranhas de uma sociedade traumatizada com o terror, para maquiar nossa imagem perante todos no exterior, e quando a bomba cai, ah meu amigo e ela sempre cai, temos de encontrar os fracos e culpados por isso, quem mandou mexer na sujeira que estava debaixo do tapete.
   Não adianta combater os efeitos, se não vai enfrentar a causa, continuaremos correndo em círculos, perante um cristo que está de braços abertos nos abençoando.








segunda-feira, 22 de novembro de 2010

A BATALHA PELA NOTÍCIA





Meios de comunicação travam uma guerra pela notícia





   A luta das emissoras pelo furo jornalístico já existe a um bom tempo, produzindo altos fatores de estimulo para os novatos e experientes formadores de opinião. Podemos afirmar que uma guerra declarada entre os canais de comunicação é travada, sempre que uma catástrofe ou um assassinato vem à tona, ou escapa pelas línguas de sempre.
   O principal problema é quando a notícia não é apurada corretamente pelos responsáveis, que estão mais preocupados com o canal adversário por medo de serem passados para trás, do que ouvir os dois lados do assunto, apurar testemunhas e seguir o plano correto de divulgação da notícia.
   Tudo isso por um simples denominador comum, a audiência, o poder e a obrigação de sempre cumprir ordens de seus superiores, que estão sempre encima com palavras ameaçadoras, superiores esses nem sempre formados ou quadrados em inovação, cegos com a evolução da informação.
   E o principal prejudicado nesse tiroteio entre cegos, é o leitor, pois com a pressa pela notícia fresca e “eficaz”, acaba engolindo uma historinha feita pelas coxas, que não faz mais nenhuma criança dormir.
   Abram os olhos e se comunique perante todas as informações que lhes são passadas, pois todos nãos sabemos que papai Noel não existe e menos ainda mora no pólo norte, desculpem crianças.



sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Por uma política mais engraçada



















Deputado federal mais votado do Brasil tem dificuldades para entender o que lê


   Vamos tentar entender um pouco como isso acontece, e como somos induzidos a eleger pessoas com um gabarito nota zero para exercer um cargo publico no Brasil, nossa pátria amada.
   Estava me informando e atualizando minhas idéias na internet, quando me deparei com um vídeo sobre o então eleito Deputado Federal “Tiririca”, e sobre a polêmica que ate agora não se resolveu, se o deputado eleito pode ou não assumir o cargo, por gerar dúvidas sobre sua escolaridade declarada em sua ficha de cadastro.
   A minha pergunta é apenas uma. Como é que esse cara foi se enroscar na política? E como é o mais votado entre muitos? Ele ate agrada no humor que faz na telinha, mais, fazer humor em um cargo público já é demais. Estamos perdendo o senso do real em nosso país, onde palhaços são confundidos com políticos e vice-versa, vejo nos jornais que estamos em constante crescimento, mais ate agora não consegui entender para onde estamos crescendo.
   Lembro-me que dias antes das eleições, conversando com parentes e amigos de estudo, questionei sobre as chances que o tiririca tinha de ganhar as eleições, a resposta foi unânime, me disseram que se ele iria ganhar ninguém sabia, mais que o horário eleitoral estava mais alegre de se assistir, isso sim. Eis que refleti sobre esse comentário generalizado, as pessoas estão acostumadas com a formalidade do horário político, que quando alguém decide quebrar as regras e a rotina, isso se torna agradável e cai nas graças do publico.
   Bom esse tema vai dar muito pano para manga, e muitos anúncios de jornal, mais que tal refletir sobre o assunto, será que rola um arrependimento em ter votado no tiririca? Ou somente um humorista irá resolver nossos problemas?  E agora quem poderá nos defender!